Armando Duarte revela novas irregularidades na LDM

July 23, 2020

O presidente da Associação Atlética do Sítio Florânia (AASF) e parceiro do Baraúnas, Armando Duarte, acusou a atual gestão da Liga Desportiva Mossoroense (LDM) de cometer graves irregularidades por ocasião da última eleição na entidade, realizada no começo de 2019. Armando afirmou ter ocorrido "crimes", suspeitando até mesmo de falsidade ideológica por parte de pessoas que supostamente teriam votado sem terem o devido respaldo legal. 

 

Na semana passada, a presidenta do Baraúnas, Bárbara Freitas, também acusou a LDM de outras irregularidades, citando que a entidade está com a Certidão Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ) inapto, não realiza prestação de contas e outras desorganizações internas.

 

Para verificar os problemas, Armando Duarte disse que procurou levantar os documentos da LDM junto ao cartório. Lembrou que esse trabalho de averiguação era também um desejo do presidente do Potiguar, Benjamim Machado. 

 

“Há mais de um ano, o Potiguar através do presidente Benjamim se queixava da questão que o time era desfavorecido, encontrando série de dificuldades até mesmo para realizar um coletivo apronto, e Benjamim nos pedia ajuda suspeitando de irregularidades. E para que conhecesse bem a intimidade da LDM, providenciamos junto ao 5º cartório o estatuto da liga e também a ata registrada da última diretoria, quando constatamos uma série de irregularidades. Há um ‘passa, passa’ de diretoria na LDM, que vem acontecendo nos últimos anos”, ressaltou ele ao Blog.

 

De acordo com Armando, no dia 6 de fevereiro de 2019 houve uma eleição para eleger Marcos Antônio Gomes, conhecido por Marcos Ferroviário, como presidente da LDM. Até então, João Dehon da Rocha presidia a entidade e, alegando problemas de saúde, afastou-se. Marcos assumiu após uma eleição apontada por Armando como irregular.  

 

“A ata mostra a presença de 13 pessoas e todas elas com cargo de diretores, quando o estatuto da LDM determina que quem pode somente votar são os representantes de times de futebol filiados à entidade. Se os filiados estão ou estariam ilegais, chamam-se todos, busca-se uma organização, divulga isso na mídia, mostra uma transparência, e não da maneira como foi feita”, alegou Armando, afirmando ter havido um crime.

 

“Se essas pessoas assinaram o documento dizendo que são filiadas da LDM elas cometem um crime de falsidade ideológica, porque não são filiadas, e se Marcos envia para o cartório informando que foram essas pessoas que compareceram na eleição então Marcos pode ter enganado a todas elas. Ou Marcos cometeu um crime ou essas 12 pessoas cometeram um crime de falsidade ideológica, quando assinaram uma ata votando em Marcos. Não há uma terceira opção”, entende.

 

Para reforçar sua desconfiança, Armando Duarte chama a atenção sobre a busca pelo revezamento da dupla Marcos/João Dehon ao cargo maior na LDM.

 

“Ano passado, João Dehon se afastou alegando problemas de saúde, então assume Marcos. Há poucos dias, Marcos tentou fazer uma eleição alegando problemas de saúde, pavimentando o caminho para Dehon voltar. Um adoece e passa para outro, e vice versa. É no mínimo estranho; uma situação inusitada. É preciso que se acabe com isso”, disse Armando, lembrando que tal eleição foi suspensa devido uma ação extrajudicial movida pelo Baraúnas contra a LDM.

 

Ainda segundo Armando, outro detalhe que remete a suposta trama, além da inelegibilidade de Marcos Ferroviário, é o perfil dos possíveis votantes, pois além de não serem filiados a LDM (confira relação abaixo), são pessoas em sua maioria com parentesco ligado à Marcos e João Dehon.  

 

“Entre as doze pessoas presentes na eleição e que assinaram a ata, há um filho de João Dehon; Miranda que é parente de João Dehon; o filho de Marcos; o filho de Lenilton, que é funcionário de João Dehon; Dorlan que é funcionário de João Dehon; o filho de Miranda. Isso é muito grave. Foram essas pessoas que elegeram Marcos”, citou.

 

DESORGANIZAÇÃO E “PEPINOS”

 

Para o presidente da AASF, o resultado da “desorganização na LDM” reflete os muitos problemas em que a entidade se meteu nos últimos tempos.

 

“Está tudo irregular, isso já vem há um certo tempo. A desorganização é muito grande. Hoje, a LDM é devedora de causas trabalhistas, é devedora da Receita Federal, e é devedora ao Ministério Público que aplicou uma multa de R$ 42 mil, sem contar com juros e correções”, informou Armando, referindo-se à multa por descumprimento de obras de adequação relacionadas à acessibilidade do estádio Nogueirão.

 

“Quando perder o Nogueirão, não terá mais jeito. A desorganização está caminhando para isso”.

 

RELAÇÃO DOS PRESENTES NA ASSEMBLEIA DA NOVA DIRETORIA E SEUS RESPECTIVOS CARGOS:

 

Marcos Antônio Gomes (Presidente)

Emerson Roberto Gomes (Vice)

Ayrton Lenner de Almeida Pereira (1º Secretário)

João Dehon da Rocha Júnior (2º Secretário)

Lenilton Silva Pereira (1º Tesoureiro)

Dorlan Bezerra da Silva (2º Tesoureiro)

Jose Carlos de Brito (Departamento Jurídico)

Ricartte Bettson Fernandes do Nascimento (Diretor de Marketing)

Emanuel Robson Gomes Ferreira (Diretor Categoria de Base)

Francisco Braz (Diretor Dept. Esporte Especializado)

Rocelito Miranda da Rocha (Diretor Dept. Desportivo Regional)

Francisco Ezequiel Braga (Diretor Dept. Arbitros)

Rocelito Miranda da Rocha Filho (Diretor Dept. Técnico)

 

 

                                                                                                                                                                                                            Foto Cedida

                                Armando Duarte criticou com veemência à gestão atual da LDM 

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

© 2017  - Todos os direitos reservados a Marcos Santos. Orgulhosamente criado com Wix.com

Espaço publicitário