Dirigente do ABC revela preocupação com custos para testagem

May 29, 2020

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) está elaborando um protocolo médico que servirá de guia para os clubes quando o futebol for retomado. O documento se inspira na Liga Alemã, com regras rígidas de segurança, e um dos seus pontos informa que será dos times a responsabilidade de conferir o estado epidemiológico de seus atletas e funcionários.

 

Equipes de estrutura menor, em comparação aos clubes da elite, estão preocupadas quanto ao quesito financeiro para arcar os custos, já que será grande a quantidade de testes para coronavírus que terão de ser utilizados nos profissionais envolvidos em uma partida.

 

Além da queda brutal da receita por conta da paralisação do futebol, em decorrência da pandemia da Covid-19, o cenário atual não permite a esses times a possibilidade de atender tal protocolo. É o caso do ABC, de Natal. O vice-presidente Gustavo Cartaxo afirmou que isso é “algo impensado” para a realidade atual não só do ABC, mas como de muitas equipes brasileiras.

 

“Só na primeira semana de treino se gasta R$ 20 mil. Além do custo diário, salário, hospedagem, mais esse custo com os testes...É algo impensado para o momento, eu falo da dificuldade do meu clube, mas imagina um clube de menor expressão que o ABC, como vai cumprir o protocolo?”, indagou ele durante sua participação no programa “Tocando a Bola”, da FM 98 de Natal.

 

Cartaxo disse que vem se aprofundando diariamente sobre a questão da volta do futebol, os protocolos médicos, e fez um levantamento de gastos com base no procedimento realizado pelo Flamengo/RJ, que voltou recentemente aos treinos de forma gradual.

 

“Fazendo uma análise, vi que o Flamengo teve um custo só nessa fase inicial de treinamento na faixa de R$ 100 mil. Não é só o atleta testado, é quem está com o atleta, ele tem esposa, filho (s), todos são testados com certa frequência. Na semana de jogo, testa o jogador duas vezes antes da partida, então é um custo muito alto”, ressaltou.

 

Para ele, não outra saída senão o apoio da CBF, pressionada pelas federações estaduais, para sanar o que seria um problema. Caso contrário, será difícil atender o protocolo como determina a entidade.

 

“Acredito na sensibilidade de José Vanildo (presidente da FNF) que, com certeza ele vai brigar junto a CBF para que ajude os clubes nesse protocolo, porque se deixar na mão dos clubes, o protocolo não será cumprido à risca”, disse.

 

SEM PREVISÃO

 

Indagado se há previsão de retorno pelo menos às atividades básicas de campo, o dirigente abecedista afirmou que não existe qualquer previsão de volta.

 

“Não temos em mente quando vai será o retorno, mas estamos antenados, checando informações com a CBF, com nossa comissão técnica...Não se tem previsão porque não temos uma indefinição de cima, quando tiver, o planejamento estará feito para colocar na prática”, disse.

 

RENOVAÇÃO DE CONTRATOS

 

Sobre renovação de contrato de jogadores, Gustavo Cartaxo disse que há acordo para continuação do atacante Igor Goularte no time, o que agora depende somente da liberação do Atlético Acreano, e as chances são favoráveis de renovação com o meia-atacante Jaílson.

 

“Temos um pré-contrato com Igor Goularte e agora esperamos a liberação do Atlético. E com Jaílson, estamos com 99% acertado para renovação do contrato”, finalizou.

 

                                                                                                                                                                                                                                             Foto Divulgação ABC

        ABC aguarda autorização para voltar as atividades no Frasqueirão 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

© 2017  - Todos os direitos reservados a Marcos Santos. Orgulhosamente criado com Wix.com

Espaço publicitário