Atleta militar e também do Potiguar, Wallace mantém forma mesmo durante quarentena

May 23, 2020

Quem é atleta de alto rendimento é difícil parar, mesmo neste momento de pandemia. É o caso do zagueiro Wallace Ferreira, do Potiguar, que vem mantendo os exercícios físicos para não perder a forma atlética. No entanto, ele garante que vem tomando os cuidados necessários sobretudo com o isolamento social para não ser surpreendido pelo vírus.

 

“Treino todos os dias, sempre higienizando, fazendo o procedimento certinho, para quando voltar o futebol, eu poder estar bem e que nada possa impedir de fazer o que eu gosto”, disse o zagueiro, de 26 anos, ao Blog.

 

Os treinos acontecem de segunda a sábado, com média de uma hora e meia por dia, em espaço apropriado para realização dos exercícios, obedecendo às normas de segurança.

 

Wallace também faz parte do Programa de Atletas de Alto Rendimento (PAAR), do Exercito Brasileiro. No entanto, o jogador afirmou que busca manter a forma por uma exigência própria.

 

“Treinar de segunda a sábado não chega ser uma exigência do PAAR, é uma decisão minha própria para quando precisar, eu poder estar preparado para fazer minha obrigação. Trabalho com o meu corpo, minha mente, então necessito de estar bem fisicamente”, ressaltou o atleta, que é carioca, mas fixou residência em Mossoró.

 

Wallace integra o programa esportivo do exercito brasileiro desde abril de 2019, quando foi selecionado através de concurso. Na sequência, o atleta foi convocado para defender o país no Campeonato Mundial de Militares, na China.

 

“Tive um curso preparatório onde aprendi coisas que nunca imaginei, tanto profissional quanto para a minha vida pessoal. Foi um sonho realizado, onde disputei um mundial Militar, em Wuhan, na China. Experiência indescritível, sensação inexplicável. Como disse: um sonho realizado, graças ao Exército Brasileiro. Sou muito grato”, comentou.

 

MANUTENÇÃO

 

Wallace tem uma renda advinda do Paar e também recebe salário do Potiguar. Mesmo assim, a crise econômica provocada pela pandemia do novo coronavírus, afetou um pouco o atleta.

 

“Já venho sofrendo um pouco antes, porque desde o mês de fevereiro não recebo o meu salário integral no Potiguar, e o vencimento referente a abril está atrasado”, admitiu o zagueiro, informando que a diretoria alvirrubra usou como justificativa para cortar o salário pela metade o fato de o atleta ter ficado um período inativo devido uma contusão.

 

“Infelizmente, isso acontece no futebol”, lamentou Wallace, que tem contrato com o time mossoroense até o final de setembro.

 

ABALO

 

Sobre a pandemia, o jogador lamenta a crise que não só afeta o Brasil como o mundo afora, mas acredita que isso irá passar daqui a pouco.

 

“A gente fica meio abalado com tudo isso que está acontecendo, se comove com às famílias pela perda dos entes-queridos, mas a vida segue. Acredito que isso vai passar e iremos voltar à vida normal”.

 

 

                                                                                                                                                                                                                                    Foto Arquivo pessoal

        Wallace faz parte do PAAR desde o ano passado e também pertence ao Potiguar

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

© 2017  - Todos os direitos reservados a Marcos Santos. Orgulhosamente criado com Wix.com

Espaço publicitário