‘Impossível falar em futebol’ diz médico da FNF

Não há o que fazer de momento senão respeitar as normas de segurança e esperar pela desaceleração da pandemia para o futebol voltar. Esse é o cenário do futebol potiguar, que terá de aguardar mais um pouco, pelo menos até o dia 4 junho quando encerrará o novo decreto de isolamento social, assinado pelo Governo do Estado na última quarta-feira, 20.

“Como o decreto prorrogado até o dia 4 de junho, serão cumpridas todas as medidas de segurança sobre o isolamento social. Até lá, é impossível falar em futebol”, disse o médico-infectologista Antônio Araújo, que esteve reunido com a equipe de coordenação epidemiológica do Estado.

Antônio Araújo foi contratado no início desta semana pela Federação Norte-riograndense de Futebol (FNF) para tratar da retomada do esporte. No entanto, o retorno segue sem uma previsão até mesmo para o reinicio das atividades físicas nos clubes.

“Enquanto a curva não achatar, nós não temos condições de fazer futebol, porque temos que ter responsabilidade com a saúde dos atletas e de todas as pessoas envolvidas durante uma partida de futebol. Essa é a opinião cientifica do grupo que estamos formando”, asseverou ele em entrevista à FM 98 de Natal.

O grupo que ele se refere irá elaborar medidas de segurança para evitar propagação do vírus e as colocará em prática assim que tiver o consentimento das autoridades para o retorno do Campeonato Estadual.

Se até o dia 4 de junho houver o declínio da pandemia do novo coronavírus no Estado, é razoável acreditar na autorização das autoridades sanitárias para o regresso do futebol, mas mesmo assim com restrição.

“Se houver o achatamento e posteriormente a flexibilidade, poderia se começar na parte física, com precauções que temos que fazer para evitar o agrupamento de pessoas”, ressaltou o médico-infectologista.

“Nós que gostamos de futebol estamos torcendo, pedindo ao ‘grande arquiteto do universo’ que nos dê luz para que surja alguma coisa que faça com que termine a pandemia, que diminua isso; surja uma vacina para a cura”, concluiu.

Foto Divulgação

Antônio Araújo foi contratado esta semana pela FNF