Levantamento revela dívida do ABC: R$ 33 milhões

Natal – O tamanho da crise financeira do ABC está exposto: o clube deve R$ 33 milhões e está caminhando a passos largos para chegar na casa dos 35 milhões nos dois próximos anos. O levantamento foi realizado pelo conselheiro Bira Rocha, que prevê um quadro de insolvência do alvinegro caso a questão não seja encarada de forma correta neste momento. Pior disso tudo é que o quadro negro é o reflexo das dívidas trabalhistas e de débitos com impostos nas três esferas de governo, questões que o clube não tem como se livrar a não ser quitando o que deve.

Bira Rocha que apresentou a questão na reunião do conselho deliberativo realizada na terça-feira, levou três horas realizando a explanação e apontando a gravidade da situação. O consultor Marcelo Sant'ana (Footway), ex-presidente do Bahia, também se fez presente ao encontro, ajudando a colocar questões que terão de ser feitas de imediato para evitar a piora do quadro.

“Tive a oportunidade de expor para os conselheiros a real situação do ABC. Essa é uma dívida muito grande e tem de ser enfrentada agora, não se pode mais fazer futebol acumulando débito e esconder em baixo do tapete, que a montanha vai acumulando e chega um momento que não dá mais para esconder”, alertou Rocha.

O empresário Bira Rocha classificou a situação como tão delicada e utilizou um exemplo muito eficaz para explicar o tamanho da gravidade aos demais membros do conselho.

“Vejam bem com a situação é delicada. Se o ABC acabar com o futebol e continuar com a arrecadação que dispõem hoje canalizada exclusivamente para o pagamento dessa dívida, ainda assim o clube levaria cinco anos para conseguir quitar todo débito acumulado ao longo de todos esses anos”, frisou Bira Rocha.

O presidente do conselho deliberativo, Cláudio Emerenciano, classificou a reunião como bastante proveitosa, uma vez que serviu para sacudir os demais membros da casa para verdadeira dimensão do problema que está para ser enfrentado. Na oportunidade não foi apresentada nenhuma proposta definitiva, ao contrário, Bira resolveu propor aos conselheiros que apresentem sugestões para a implantação de um plano de combate a crise.

“A reunião foi boa e a repercussão da explanação realizada por Bira Rocha foi excelente. Teremos outra reunião na próxima semana para tentar fechar essa questão e quantas outras forem necessárias para tratar desse assunto e buscar alternativas”, destacou Cláudio Emerenciano.

O ponto crucial dessa situação, foi que o futebol evoluiu e, administrativamente, o ABC continuou parado no tempo, segundo Bira. Agora, de acordo com o conselheiro abecedista, o clube vai ter de arranjar uma forma melhor de fazer futebol, uma vez que a primeira medida a ser tomada, é corrigir o orçamento para 2020, onde está previsto um débito de um milhão de reais.

“Não podemos mais alimentar esse bolo da dívida. Temos de repensar esse orçamento para a próxima temporada e gastar apenas o que puder ser realmente gasto. Essa é uma prática que deve desaparecer da vida do clube, se ele desejar alterar a maneira de ser administrado. Os clubes que já iniciaram esse processo como Ceará, Fortaleza, Bahia e CSA estão vivendo dias bons no futebol”, exemplificou.

Vicente Estevam, da Tribuna do Norte

Foto Tribuna do Norte

Bira Rocha alertou para situação do ABC