Procuradoria do STJD/RJ arquiva processo do 'Caso Gledson', mas pede medidas contra presidente do TJD/RN

February 19, 2019

A Procuradoria do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), no Rio de Janeiro, arquivou a notícia de infração do “Caso Gledson”, mas pediu para a Corregedoria da casa medidas cabíveis ao presidente do Tribunal de Justiça Desportiva do Rio Grande do Norte (TJD/RN), Adriano Rufino Sousa da Silva, por “Erro Grave e Grosseiro” ao conceder efeito suspensivo ao goleiro do América, Gledson.

 

O arquivamento é porque o processo movido por clubes potiguares – ABC, Globo, Palmeira, Potiguar, Santa Cruz e Força e Luz – deveria ter sido analisada ainda na esfera estadual, antes de chegar até ao STJD. “Preliminarmente, fica essa procuradoria impedida juridicamente de adotar qualquer medida judicial face a notória inadequação da via eleita por parte dos noticiantes. Da decisão emanada pelo presidente do Tribunal Pleno local, caberia aos mesmos, propor recurso cabível ao próprio pleno e, em tratando de medida de urgência contra ato manifestação ilegal, mandado de garantia ao Pleno do STJD”, informa o documento assinado pela Subprocuradora geral do STJD, Julia Gelli.

 

 

 

O Blog procurou saber porque o processo “atravessou” os passos naturais, obtendo de uma fonte a argumentação de que “a procuradoria do TJD não iria denunciar o presidente da casa” e assim a petição não iria dar em nada.

 

No entanto, a mesma fonte admitiu a falta de cuidado dos clubes noticiantes por não terem reclamado dentro do prazo de três dias para que o processo observasse o passo a passo, o seu curso legal, até chegar ao STJD assim fosse necessário, apesar de demandar certo tempo. O que aconteceu foi que a petição ocorreu fora do prazo de três após a realização do jogo (ABC 3x0 América), o que acabou “queimando” as etapas naturais.

 

Apesar de arquivar o processo por questões técnicas, a procuradoria do STJD pediu para o presidente e corregedoria da casa medidas cabíveis contra o presidente do TJD, Adriano Rufino Sousa da Silva, por erro grave.

 

“Não obstante, vislumbro Erro Grave e Grosseiro por parte do auditor presidente, o que viola os mais básicos princípios e normas desportivas, quiçá as regras do jogo – Internacional Football Association Board - IFAB. Nesse sentido, requer sejam os presentes autos remetidos aos Esmo. Auditor presidente e ao Exmo. Auditor Corregedor desta Corte para ciência e adoção das medidas administrativas que entenderem cabíveis”.

 

 

 

ENTENDA O CASO

 

Gledson foi expulso no jogo contra o Potiguar pela segunda rodada do 1º turno do Campeonato Estadual e deveria cumprir a suspensão diante do Palmeira, em jogo que estava marcado para a terceira rodada. No entanto, a Federação Norte-riograndense de Futebol (FNF) alterou a data do jogo entre América e Palmeira, e a partida seguinte passou a ser contra o ABC.

 

Considerando a importância do clássico dada rivalidade, o América entrou com petição para ter o goleiro em campo, alegando a alteração no calendário de jogos, depois do duelo diante do Potiguar, quando Gledson foi expulso. O presidente do TJD, Adriano Rufino, concedeu o efeito suspensivo e assim o atleta participou do derby natalense, vencido pelo ABC por 3x0. Hoje, Gledson defende o Avaí/SC.

 

No entanto, o ato do América de colocar o goleiro em campo, mesmo endossado pelo TJD, chamou a atenção dos demais clubes para que o caso fosse investigado pelo STJD por entenderem que não cabia efeito suspensivo para uma suspensão por determinação há anos da Internacional Football Association Board (IFAB), entidade ligada à Fifa. Mas tal noticia de infração foi arquivada pelo STJD por questões técnicas.

 

Foto: Canindé Pereira

Gledson jogou o clássico por erro do presidente do TJD

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

© 2017  - Todos os direitos reservados a Marcos Santos. Orgulhosamente criado com Wix.com

Espaço publicitário