Atenções estão voltadas para o 'Tapetão" nesta sexta-feira

February 8, 2019

Esta sexta-feira, 8, será decisiva para o Potiguar e também para os rumos do Campeonato Estadual. É que nesse dia, o Pleno do Tribunal de Justiça Desportiva (TJD/RN) vai julgar o pedido do alvirrubro mossoroense que pleiteia a recuperação dos seis pontos perdidos no julgamento em primeira instância no “Caso Sávio”. A sessão está marcada para iniciar às 17h30, na sede da Federação Estadual de Futebol.

 

Se os auditores entenderem pela reforma da decisão tomada na 1ª comissão disciplinar da casa, devolvendo ao Potiguar os seis pontos, o clube mossoroense chegará aos 12 – de momento, soma seis –, e assim decidirá sua classificação para a final do 1° neste domingo, 10, em casa, diante do Santa Cruz de Natal. Mas se eles decidirem pela manutenção da sentença, aí o alvirrubro estará sem chances de avançar de fase.

 

O time continuará também com chances de classificação caso a reforma contemple a recuperação da metade dos pontos perdidos (três), mas chegaria à última rodada dependendo de combinação de resultados. Por esse ângulo, o Potiguar somaria 9 pontos (6 atuais com possíveis mais 3 recuperados), ficando na tabela atrás de América com 10 e ABC com doze.

 

O Força e Luz protestou o clube mossoroense por desrespeitar o regulamento específico do Estadual, que veda participação de atleta inferior a 16 anos nas partidas. No jogo de abertura do campeonato, no dia 9 de janeiro, vencido por 2x0 ante o Palmeira, o Potiguar relacionou Sávio no banco de reservas.

 

Através de sua equipe jurídica, o Potiguar apresentou alguns recursos na tentativa de reverter a situação. Utiliza como defesa regulamentos padrões do futebol brasileiro para afirmar que não errou por escalar um atleta de 15 anos no banco de suplência, lembrando que ele fará 16 anos neste ano.

 

“Nossa defesa alega que o atleta Sávio estava em situação regular de jogo, devidamente inscrito em conformidade com o Regulamento Geral de Competições da CBF, Lei Pelé e o Regulamento Nacional de Registro e Transferência de atletas de futebol, pedindo assim a absolvição do clube e, caso esse não seja o entendimento dos julgadores do TJD, nós pedimos alternativamente que seja desclassificado do artigo 214, pelo qual nós estamos sendo denunciados, para o artigo 191, inciso 3, tendo em vista que o clube em nenhum momento agiu com dolo, má fé e nem obteve vantagem com a escalação do atleta”, argumentou o advogado do Potiguar, Williams Segundo.

 

Além da absolvição ou mudança do artigo disciplinar, o clube pede até a paralisação do campeonato caso a pena não seja reformada pelos auditores do Pleno do TJD.

 

“Nós requeremos em série de recursos a suspensão imediata da penalidade imposta e, caso não acolhida, requeremos a suspensão do campeonato até que seja julgado o mérito do recurso e, também caso não seja acolhida a suspensão do campeonato, pedimos também que a competição seja declarada em sub judice, podendo ser revertido todo e qualquer resultado, inclusive uma possível final de turno, pois o nosso clube tem grandes chances de decidir esse turno, caso seja reformada a decisão da primeira instância”, informou o advogado alvirrubro.

 

Foto: Oscar Xavier 

No julgamento em primeira instância, o TJD decidiu pela perda de seis pontos, fazendo Potiguar cair na tabela

 

 

 

.

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

© 2017  - Todos os direitos reservados a Marcos Santos. Orgulhosamente criado com Wix.com

Espaço publicitário