Baraúnas pode sofrer intervenção judicial e ter planos prejudicados na temporada

May 11, 2018

Em contato com o cartório responsável pelo registro da eleição, o presidente da comissão eleitoral do Baraúnas, José Carlos de Brito, ouviu que a saída para resolver o imbróglio poderá ser a intervenção judicial, como aconteceu há três anos. O evento, que deveria acontecer no dia 30 de abril para decidir pela nova diretoria do tricolor, foi suspenso devido ao clima inflamado entre algumas pessoas ligadas ao clube.

 

Como no dia anterior, a gestão de Josirene Ribeiro chegou ao seu fim, desde então o Baraúnas está sem presidente.

 

Um dos motivos da confusão foi a legitimidade do quadro de sócios adimplentes. Atualmente, esse quadro apresenta 27 membros aptos a votar e serem votados, segundo regimento do clube. E como o Baraúnas está sem quadro diretivo, não há como admitir novos sócios nem receber pagamento de quem porventura esteja inadimplente.

 

Diante do cenário confuso, a tendência é para que a Justiça Comum seja provocada para assim decidir pela nomeação de um administrador provisório que, por sua vez definiria por nova eleição, como aconteceu em 2015.

 

Naquele ano, o Baraúnas vinha descumprido seguidamente trâmites legais quanto a registros cartoriais de suas eleições, datando a última movimentação oficial em 2007, quando da última passagem do presidente João Dehon à frente do clube.

 

Com isso, a justiça foi provocada e o juiz na época, José Herval Sampaio Junior, então titular da 2ª Vara Cível de Mossoró, nomeou o próprio José Carlos de Brito como administrador provisório para responder pelo clube, sobretudo pela eleição que viria a ser realizada em seguida.

 

CONSEQUÊNCIAS NEGATIVAS

 

O momento de indefinição pode comprometer o processo de revitalização do Baraúnas para a sequência da temporada. O tricolor foi rebaixado para a segunda divisão do futebol estadual, o que provocou a queda da diretoria comandada por Josirene.

 

A recuperação do Leão ainda este ano passa pela disputa da segunda divisão, porque vencendo o torneio o tricolor voltaria à elite já em 2019, como reza o Regulamento Especifico da Competição (REC). A “Segundona” acontecerá no segundo semestre provavelmente entre setembro e outubro, e a primeira reunião para discutir o campeonato deverá acontecer no final deste mês.

 

Mas o possível processo de intervenção até as novas eleições pode consumir um certo tempo, podendo atrapalhar os planos do futuro novo gestor do Baraúnas no trabalho de soerguimento do clube.

Inclusive, José Carlos de Brito deixou pouca margem para que o torcedor fique otimista quanto à participação do clube na segunda divisão, como muitos torcedores desejam.

 

“Esse processo de definição de uma nova diretoria poderá ser rápido, ou não, dependendo do andamento na justiça. Pode ser que até julho esteja tudo resolvido, mas pode ser que o processo acabe em setembro ou mais adiante”, disse José Carlos em entrevista à 95 FM.

 

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

© 2017  - Todos os direitos reservados a Marcos Santos. Orgulhosamente criado com Wix.com

Espaço publicitário